PIB do Brasil: resultados das importações e exportações podem refletir em 2020

3º trimestre de 2019 apontou crescimento de 1,2% quando comparado ao mesmo trimestre de 2018

PIB do Brasil: resultados das importações e exportações podem refletir em 2020

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro é um importante indicador para compreender como está o andamento da economia do país. Em 2019, seus resultados no âmbito das importações e exportações foram bem diferentes e significativos. Do lado das Importações de Bens e Serviços, houve uma alta de 2,9%, de acordo com dados publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já quando se olha as Exportações de Bens e Serviços, considerando o levantamento do 3º trimestre de 2019, houve um recuo de 2,8%. No resultado geral do PIB do Brasil, o crescimento do 3º trimestre de 2019 comparado ao mesmo período em 2018, foi de 1,2%.

Esse comportamento das importações serem maiores do que as exportações no Brasil é recorrente e se dá por uma série de fatos. “Nós, do Brasil, somos reféns da tecnologia e de investimentos. Logo, historicamente, a importação é maior que a exportação. A maioria da exportação hoje é de commodities como açúcar, soja, minério e milho, já os produtos manufaturados não são exportados como deveriam ser”, explica Paulo Vitor, diretor da Atuali. “Por isto, acontece essa particularidade que impacta tanto no comércio exterior em si como na Balança Comercial, mas os grandes produtores de comodities continuam exportando do mesmo jeito”, complementa.

Já as importações, no ano de 2018, atingiram a cifra de 181 bilhões de dólares e em 2019, 177 bilhões de dólares, valores muito próximos, que demonstram não terem sofrido influência com a alta taxa de câmbio deste período.

 

PIB do Brasil: Balança Comercial em 2019

Apesar do resultado do PIB ser positivo, para o comércio exterior, a Balança Comercial apresentou um dos seus piores resultados dos últimos tempos. “No final de 2019, o Brasil conseguiu atingir um superávit na Balança Comercial de 46,5 bilhões de dólares. Este valor é obtido quando verifica-se tudo aquilo que foi exportado pelo país menos tudo aquilo que foi importado. O superávit apresentado em 2019 foi o menor da série histórica desde 2015, quando a balança comercial foi superavitária em 19.5 bilhões de dólares”, conta o prof. Ms. Júlio César Machado, coordenador do curso de Ciências Econômicas na Universidade Nove de Julho (Uninove), que é economista com experiência de mais de 20 anos em Mercado Financeiro e de Capitais, Comércio Internacional e Engenharia Econômica.

 

Exportações: quais as razões do resultado negativo

De acordo com o coordenador do curso de Ciências Econômicas da Uninove, este resultado das exportações apresentou como consequência direta dois fatores fundamentais. “O primeiro foi a crise econômica e política na Argentina, grande parceiro comercial do Brasil que reduziu as importações de veículos. O segundo fator, a gripe suína, uma das causas da redução das importações chinesas tanto de soja quanto de milho”, explica o docente. A China sacrificou uma grande quantidade de porcos, reduzindo consequentemente a importação dessas commodities brasileiras. Essa situação atingiu diretamente a exportação de insumos básicos usados para a alimentação destes animais. Atualmente, a China é o maior país importador de produtos brasileiros. Sozinha, corresponde aproximadamente por mais de 35% das exportações brasileiras.

 

 

5 decisões globais que podem afetar o comércio exterior em 2020:

 

– Acordo comercial entre China e EUA;

– Eleições nos EUA;

– Formalização do BREXIT;

– Reforma Fiscal e Tributária no Brasil.

– Possível trégua entre EUA e Irã, abrindo mais caminhos para as exportações ao Oriente Médio.

 

Posts Relacionados

Perspectivas e desafios para o comércio exterior em 2020

Leia mais